Blogmas #1 – Bullet Journal Natalino

Adriele E. da Silva

Oi genteeeee!! É o primeiro post do blogmas do Living for Harry! Sim, eu estou um pouco atrasada, estou doente e isso atrasou um pouco os planos aqui do blog, mas vamos tentar colocar tudo em ordem… Afinal, É NATAL!! E como já viram no título, o primeiro post do blogmas é sobre o meu bullet journal, o layout de Dezembro está super natalino!

Comecei colocando um pedaço desse papel que serve de embrulho das entregas da Amazon com uma frase e uma árvorezinha, colei esse papel com cola e pra decorar usei fitas verde e vermelha. Depois fiz a capa do mês com enfeitizinhos de Natal e estrelinhas.

Para o calendário, me inspirei em alguns bujos lá do Pinterest e fiz um calendário bem colorido e natalino, com alguns doodles festivos e as datas mais importantes do mês.

Na página dos posts do blog, eu coloquei um pisca-pisca na parte de cima e vários doodles natalinos do lado.

Depois fiz o famoso calendário do advento, também foi uma inspiração do Pinterest, mas acrescentei uma lista de atividades do lado da árvore de Natal com a contagem para o dia 25.

As páginas seguintes são a de gratidão que fiz no mesmo modelo da capa, com enfeites natalinos e estrelas, e a página com minhas leituras, filmes e séries que quero ler/assistir.

Depois fiz uma lista de presentes e por último a primeira semana de Dezembro.

Também decorei com pisca-piscas.

Detalhe fofo no final da página da primeira semana!

Espero que tenham gostado do meu bujo! Para acompanhar sempre, basta me seguir no instagram!

Beijos Mágicos e natalinos!!


Para ver mais posts de Natal, clique aqui.

E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

Anúncios

Favoritos do mês – Novembro

Adriele E. da Silva

Oi gente!! Estamos no último mês do ano e antes de entrarmos 100% no clima de Natal (Será que teremos blogmas esse ano?), vamos falar sobre os favoritos de Novembro.

Livros: Geekerela (Rolou até resenha conjunta aqui no blog!)

Filme: Thor Ragnarok

Fonte: Instrumental Fx

Série: Stranger Things 2

Fonte: The Verge

Presentes: Caderninho monstruoso (Obrigada, Ingrid!) e Zenfone 3 zoom (Obrigada, André!)

Brinquedo: Yosh do McDonald’s

Esses foram os meus favoritos, agora quero saber o de vocês! Deixem aqui em baixo, nos comentários!

Beijos Mágicos!!


Veja outros posts: Agosto | Outubro e Novembro | Dezembro | Janeiro | Fevereiro | Março | Agosto | Setembro | Outubro

E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

Geekerela

Equipe Living for Harry

Oi gente! Voltamos com mais uma resenha conjunta… Bem, só a resenha, porque a Lari não aguentou e foi toda afobada ler o livro assim que ganhou (hahahahaha), então eu (Adri) acabei lendo depois, mas o importante é que lemos esse livro em Outubro e estamos trazendo uma resenha maravilhosa pra vocês!

De todos os contos de Cinderela, nesse, a princesa perde um sapatinho… Mas ele não é de cristal. Elle tinha um pai apaixonado por ficção científica e, quando faleceu, deixou sua filha com essa paixão, uma madrasta e duas irmãs más. Quando sua série de ficção favorita ganha um remake, Elle decide fazer de tudo para ter a chance de participar do concurso de Cosplay promovido pelos produtores do filme. O prêmio do concurso? Um baile. Dentre todas as questões hollywoodianas, o que prevalece? Alegrar se com a volta de um clássico da ficção científica ou ter suas melhores lembranças arruinadas por atores modinhas e uma produção elaborada demais?

Do outro lado, temos o príncipe… Ou melhor Darien, um ator lindo que está começando a ver sua carreira em Hollywood decolar agora e pra manter essa carreira decolando, como seu empresário quer, ele precisa garantir que o remake da série preferida dele seja um sucesso, para isso fará muito mais que atuar, deixando que os fãs da série o achem uma farsa, quando na verdade, é um geek de carteirinha.

Tá aí uma história que tem tudo para ser um grande clichê baseado em Cinderela… E ele é, mas calma, não é um clichê como os que odiamos, pois ele pega as partes que mais amamos na história da Gata Borralheira e traz para o nosso século. Os clichês não são largados de forma escrachada apenas para dar o que o leitor espera e que no fim, nos deixa entediadas, mas se transformam em momentos fofos que deixam nosso coração mais quentinho. Pois essas partes foram bem trabalhadas, deixando pouco a desejar.

Sim, este livro nos remete aos melhores momentos da Cinderela. Porém, não podemos nos esquecer que estamos falando de uma Cinderela do século 21, que deixou a desejar em uma parte: cadê o empoderamento dessa protagonista? Elle passa por vários problemas com a madrasta, é humilhada pelas “irmãs” e não tem o direto de opinar dentro de casa. Por que ela nunca pensou em…sei lá… Colocar pasta de dente no suco verde das irmãs? Juntar dinheiro e sair de casa?
E também temos o “príncipe”, nesse caso, ator, que corre para salvar Elle que, como sempre, está sendo maltratada e humilhada pelas irmãs… Um plot twist? E se Elle decidisse, de verdade, que poderia se salvar sozinha? Ou que fosse procurar o príncipe ao invés de esperar que ele venha procurá-la? Fica a dica para o próximo livro baseado em Cinderela…
Mas os poucos clichês que não são bem trabalhados e a falta de um empoderamento maior, não tiraram o brilho de Geekerela, o livro é muito bom mesmo e já ganhou um lugar muito especial nos nossos corações, por se tratar de um livro leve, fofo, romântico, geek (acho que isso era óbvio) e divertido de uma forma cativante. Indicamos a leitura dessa maravilha para todo mundo: pra quem gosta da história da Cinderela, para quem gosta de remakes, para a galera geek de plantão, pra quem gosta de clichês fofos e para todos que querem ler um livro leve e divertido nesse final de ano… E hey! Esse livro tem uma vibe muito boa para uma leitura de final de ano! Sério, leiam!
Agora vamos falar de outro ponto positivo do livro: a parte visual. Geekerela é completamente lindo. A capa ficou muito bonita, desde as ilustrações, as cores escolhidas, os detalhes no título, quanto a montagem da capa que brinca com a distância entre os dois personagens, de forma que na capa aparece a Elle e na quarta capa, o Darien. E por dentro o livro também é muito bonito. Ele é dividido nos pontos de vista dos dois protagonistas e além de toda a narrativa, o texto também é composto pelas mensagens de celular que são trocadas durante a história, o que deixa a leitura ainda mais dinâmica e com um visual diferente, também possui uma divisão das partes do livro que é feita com folhas pretas estreladas que combinam muito com o tema do livro e a diagramação é muito boa, facilitando ainda mais a leitura, além de deixá-la mais prazerosa e menos cansativa.
Existem histórias que precisam ser contadas e recontadas ao longo das gerações e Cinderela e uma delas. Talvez, você conheça apenas a Cinderela clássica do desenho, a Cinderela com a Hilary Duff, com a Selena Gomez ou último Remake lançado em 2015…o importante é manter esse clássico vivo nas nossas vidas. E aí, já assistiu/leu Cinderela hoje? E Geekerela, já leu? Conta pra gente nos comentários! E podem deixar também indicações de livros que vocês querem que a gente leia e resenhe juntas!
Beijos Mágicos e Beijos na bunchecha!!
Resenhas conjuntas: Six of Crows

E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

Livros na Black Friday!!

Equipe Living for Harry

Oi gente! Amanhã é a famosa Black Friday e nós do Living for Harry iremos indicar algumas promoções bem legais de livros que gostamos bastante e achamos que vale a pena comprar agora! Então preparem suas listas, seus porquinhos e vamos lá!

Six of Crows – R$22,90 na Saraiva

Crooked Kingdom – R$24,20 na Amazon

Um ano inesquecível – R$18,30 na Amazon

Pollyanna – R$15,20 na Amazon

Trilogia dos espinhos – R$49,90 na Amazon

O presente do meu grande amor – R$6,90 na Amazon e na Submarino

Senhor das Sombras – R$26,90 na Amazon e na Submarino

Kit do Carl Sagan – R$47,90 na Amazon

Box Harry Potter – R$99,00 na Amazon

Graphic MSP: Mônica – Força – R$19,90 na Amazon

Dica extra especial da Lari: Box DVD Friends (10 temporadas) – R$99,90 na Saraiva

Imagens retiradas da internet

Se tiverem mais alguma dica legal, deixem aqui em baixo! Aproveitem bem a black friday, então comparem os preços de tudo que forem comprar. E não se esqueçam de algo muito importante! Se forem comprar algo na Amazon, usem os nossos links, porque assim ganhamos uma parcela da venda e isso ajuda muito o blog!

Mais dicas de livros!!

Beijos Mágicos e na Beijos na bunchecha!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

Meu bem.

Adriele E. da Silva

Fonte: Chuva de meninices

Não, isso não é um post normal. Não, isso não é mais um texto de amor idealizado. Não, isso não é um texto sobre fins ou começos. E não, isso não é um pedido de desculpas. É um texto sobre um sentimento maior que o amor dos livros e filmes. É um desabafo, mas não para vocês, nem para mim. É só algo que meu coração precisava falar antes que todas essas palavras perdessem o sentido, antes que ações tomassem seu lugar.

Meu bem.

Tudo que vou dizer agora, pode ser entendido como um clichê e talvez seja mesmo, afinal o amor é uma daquelas coisas cafonas que não sentimos vergonha, como decoração de Natal e Carnaval, pois o que faz desses momentos e do próprio amor algo tão especial é a cafonice verdadeira. Então, lá vai…

Você é uma das pessoas mais importantes da minha vida, não, não A MAIS importante, pois você me ensinou a valorizar todas as pessoas que realmente importam pra mim e dar para cada uma seu devido valor e espaço no meu coração. Pois é, você nunca quis meu coração todo para você e isso nunca foi algo ruim, pois me ensinou que existem muitos tipos de amor e que todos eles devem ser sentidos.

Você tem um abraço que faz eu me sentir protegida, amada, carinhada e especial. Um abraço que me fez entender o quanto esse gesto não é só um aperto que me deixava sem ar, um abraço que me fez abraçar mais as pessoas, mesmo que ainda me sinta um pouco claustrofóbica e desconfortável.

Você tem lindos olhos verdes que às vezes são azuis e outras vezes cinza. Olhos que mudam de cor, mas que não mudam de verdade, “é só a luz”. Olhos que não mudam de verdade, porque são sempre os mesmos olhos que me prendem, tiram o meu ar e fazem eu te amar mais cada vez que olho para eles. Olhos que me fizeram querer olhar mais nos olhos das pessoas, pois percebi o quanto isso é importante, não apenas algo intimidador. Olhos que me fizeram entender a importância de apreciar as coisas mais simples e bobas da vida, como um pássaro voando, um carro bonito passando, uma pessoa andando apressada na rua ou um grafite empoderador e revolucionário na parede. Seus lindos olhos que mudam de cor me fizeram ver a beleza da vida, mesmo nos dias em que menos quero olhar pra fora dos meus problemas, pois me mostrou que existe um mundo fora de tudo isso que deve ser admirado.

Você tem uma boca linda que fica na altura dos meus olhos, facilitando uma das visões mais lindas que tenho. Uma boca que mesmo ressecada, machucada ou falando besteira, me faz querer passar horas conversando, não apenas para admirá-la, mas para ver, ouvir e sentir tudo que fala, pois consegue falar coisas incríveis, lindas, sinceras, bobas, tristes e felizes de um jeito que só você faz. Uma boca que amo beijar e morder, mas que amo mais ainda quando diz que me ama, que me acha linda, que sou seu bem.

Você conseguiu me mudar, como muita gente diz, mas não do jeito que elas soam quando dizem isso. Você conseguiu me mudar, fazendo eu perceber que vale a pena viver, mesmo que seja pra dizer que não vale a pena. Você conseguiu fazer coisas que ninguém nunca conseguiu a minha vida inteira. Você fez eu me sentir amada de verdade, de uma forma sincera, sem querer nada em troca, amando todos os meus defeitos, mas sempre tentando me fazer melhorar, mas não por você, por mim.

Foi com você que aprendi a deixar meus sentimentos viverem e não só os bons. Graças à você, eu consigo sorrir muito mais e sem vergonha de parecer boba, eu dou gargalhadas altas sem me preocupar com o que vão pensar de mim, eu choro sem ter medo de ser julgada e peço abraços sem medo de acharem que sou uma “menininha carente”, porque sei que isso não é um problema.

E o melhor, você fez tudo isso sem esperar algo em troca, sem esperar receber os créditos por isso, pois no final das contas eu não fiz isso por você, fiz por mim. Porque você me mostrou que posso ser feliz de verdade e que posso fazer isso por mim.

Eu amo tudo que me ensinou e tudo que faz eu sentir, mas principalmente, eu amo te amar, porque sei que esse sentimento deixou de ser só algo superficial e perfeito. Pois com tudo que acontece, eu continuo te amando cada dia mais. E não, não vou listar os defeitos, os problemas, as dúvidas, pois eu sei que elas existem, você sabe que elas existem e nós dois sabemos que nosso amor é muito maior que tudo isso.

Então só quero dizer… Eu te amo, meu bem.

–> Leia esse texto aqui: VOCÊ MUDOU A MINHA VIDA

–> E ouça essa música aqui: Dengo

Ser negra

Potira Caruana

Desde pequena, minha mãe sempre trabalhou comigo a questão de ser uma menina negra em uma sociedade racista, mas ainda sim achava meu cabelo armado demais, sem cachos tão bonitos, meus lábios grandes e meu nariz largo. Com o tempo deixei o relaxamento dos cabelos de lado e passei a usar tranças para que meu cabelo voltasse ao natural, mas ainda assim toda vez que soltava-as não sabia como lidar com ele e por isso me escondi atrás delas por 4 anos, afinal quase parecia uma cabelo liso, eu podia fazer penteados, ficava pra baixo, caia no meu rosto e eu podia até ter uma franja. Na minha formatura do ensino médio eu resolvi me rebelar, fui ao cabeleireiro que deixou o meu cabelo cacheadamente incrível, todos me elogiaram e eu me senti uma princesa de verdade.
Com uma participação mais forte dentro do movimento negro, comecei a amar cada vez mais o volume do meu cabelo, o tamanho dos meu lábios e a largura do meu nariz, a conhecer a minha história e ter orgulho de ser negra!
Sempre que escuto alguma amiga elogiar minha beleza, meu cabelo ou minha boca penso em como eu já sofri por conta deles, de como tive q conquistar uma auto estima que ainda vejo ser algo frágil em mim.
Todas querem ter minha boca, mas não querem sofrer com o genocídio da juventude negra.
Todas querem ter o meu quadril, mas não querem sofrer a violência obstétrica no qual as mulheres negras passam.
Todas amam meu cabelo, mas não querem deixar de arrumar emprego porque o cabelo crespo não é aceito nas empresas.
Ser uma mulher negra é sofrer por diversas violências, sofrer a desigualdade na pele e ainda assim ter q ser forte e colocar seu turbante pra indicar sua resistência.
20 de novembro é dia pra celebrar diversas mulheres negras como Dandara, que foi uma guerreira e lutou para libertar o povo da escravidão.
Ser mulher negra é ir além dos esteriótipos e hipersexualização. É mostrar que pode ser uma bela passista, mas que pode ser uma excelente médica, ser uma incrível cientista, uma engenheira renomada, ser o que quiser ser.

Instagram: @potiracaruana


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

Inventei você?

Larissa Leite

Oláaaa!! Como vai esse feriado? Cheio dos estudos? Rolês? Ou só dormiu mesmo? Espero que estejam em casa agora, porque é hora de resenha!! Hoje é dia de… Inventei você? Ps: interrogação faz parte do título.

Capa azul em homenagem ao novembro azul, mas só isso que tem a ver mesmo…

Contemos a história mirabolante de Inventei você?

Tudo começa quando a pequena Alex, uma menininha com cabelo vermelho (#adoro), está em um mercado com a mãe e decide resgatar as lagostas do aquário do que pediam ajuda para serem salvas dos terríveis consumidores do mercado! Após esse acontecimento, Alex passa ser diagnosticada como esquizofrênica.

Pulamos uns 12 anos, agora Alex está em seu ultimo ano do ensino médio, sendo medicada, convivendo com colegas de escola, de trabalho e lutando para ter uma vida “normal”. A menina passa por algumas crises no colégio e acaba sendo transferida para outra escola. Se é já difícil começar em uma escola nova…imagina para essas pessoas com esse distúrbio.

Para mim, a pior parte do livro é quando Alex não sabe discernir o que é real e o que é de sua imaginação. Coisas banais, como esquilos com cauda colorida, para a menina é fácil de saber que é uma ilusão. Mas, e pessoas? Locais?

Como os remédios para esquizofrenia nem sempre funcionam, Alex passa tirar fotos de tudo que ela acha que pode não ser real. Com o tempo, o que é ilusão some da foto e apenas o real permanece.

Achei esse livro extremamente delicado, já que eu, junto com Alex passo a duvidar da realidade durante a leitura… e confesso que isso me abalou um pouco. Quando penso em esquizofrenia, penso no Tarso da novela Caminho das Índias, uma pessoa louca que age fora do padrão. Mas, depois dessa leitura… É fácil perceber o quanto Alex se afeta com sua doença, deixa de sair pois tem medo de ter crises, tem pais que a prendem mais do que uma família deveria.

Recentemente, conheci uma pessoa esquizofrênica, e só descobri que ela tinha esse problema porque uma amiga dela me contou. Ou seja, sem preconceitos com pessoas com esse distúrbio, afinal, também possuem famílias, comem Mc, estudam e trabalham. Tudo bem que as vezes acham que estão sendo perseguidas, mas…quem nunca? Sou perseguida semanalmente…

Apesar do assunto desse livro ter sido mórbido – uma ótima leitura para outubro – muitas situações são retratadas de maneira engraçada. Minha parte favorita? Primeiro, o fato da personagem principal ser ruiva (YEY) e segundo, quando o cabelo de uma menina pega fogo e Alex não sabe dizer se é real ou não.

Eu jogaria água nela, mesmo sem saber se tava pegando fogo mesmo…

Quer saber se era ou não? Corre lá para ler!

Beijos na bunchecha!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it