Blogmas #4 – Livros para entrar no clima de Natal

Adriele E. da Silva

Oi gente! Mais uma forma de entrar no clima de Natal é com um bom livro que se passe nessa época, porque nos deixa mais inspirados e introduzidos nesse clima de festas e quentinho no coração. Mas claro, que nem sempre teremos livros tão fofos só por se passarem no Natal. Então, aí vão as minhas dicas de leitura.

Um Conto de Natal – Charles DickensO presente – Cecelia Ahern

A aventura do Pudim de Natal – Agatha Christie

Todas as cores do Natal – Alliah, Bárbara Morais, Lucas Rocha, Mareska Cruz e Vitor Martins (e-book)

O presente de Natal – Anne Gutman e Georg Hallensleben

Como o Grinch roubou o Natal – Dr. Seuss

Essas são as minhas indicações! E não esqueçam de comprar pelo meu link da Amazon que está nos nomes dos livros, porque ajuda bastante o blog! 😀

Beijos Mágicos e natalinos!!


Blogmas #1 – #2 – #3

Para ver mais posts de Natal, clique aqui.

E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

Anúncios

BEDA #22 – Aventura vs. Distopia

Equipe Living for Harry

Oi gente! Preparados para a semana de fights? Porque hoje teremos o primeiro duelo literário… Mas como assim? Então, essa semana faremos posts comparando sempre dois pontos, tomaremos um lado, mas só para o post, pois temos nossas opiniões e favoritos, assim como vocês e claro que queremos saber a opinião de vocês, então deixem seu time nos comentários! E para começar um fight mais calmo, afinal será entre Aventura e um ramo da aventura, a Distopia.

AVENTURA

O gênero aventura é aplicado para histórias nas quais o protagonista é constantemente colocado em situações perigosas. Ou seja, quando nós, leitores, estamos lendo um livro de aventura, a primeira coisa que percebemos é: “Velho, esse personagem só se ferra!”. Esse gênero também faz o nosso coração acelerar, nossas unhas serem roídas e vários palavrões surgirem na nossa mente. Representante: Larissa (maior fã de Trono de Vidro). Livro para representar: A Batalha do Apocalipse.

DISTOPIA

A distopia é um tipo de aventura, porém focada em um futuro problemático, geralmente pós apocalíptico ou pós guerra, então o mundo está sempre um caos nesse futuro. Nesse tipo de história, os personagens geralmente vivem em condições opressoras e totalitárias, sendo obrigados a passarem por situações perigosas e bem extremas. A maioria das distopias possuem protagonistas femininas (#GirlPower). Desde princesas como a América da série A Seleção, até a guerreira Katniss, da trilogia Jogos Vorazes. Representante: Adriele (fãzona de Jogos Vorazes). Livro para representar: Jogos Vorazes.

Não esqueçam de deixar seu time nos comentários! Você é #TeamAventura ou #TeamDistopia??

Beijos Mágicos e Beijos na bunchecha!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

BEDA #11 – Livro X Filme: Jogos Vorazes (trilogia)

Adriele E. da Silva (participação especial: Joel Torrealba)


Oi gente! Não, vocês não estão vendo errado ou contando errado. Hoje é dia 14 de agosto 14º dia do BEDA, mas eu e o Joel, nosso convidado especial do post de hoje, esquecemos de liberar o último post da semana temática Livro X Filme, então resolvemos postá-lo hoje. Então sim, teremos dois posts hoje, desculpem a confusão! O Livro X Filme de hoje é sobre uma das melhores sagas que existe e na minha opinião, a melhor distopias de todas. Antes de qualquer coisa, essa saga foi a melhor adaptada para o cinema, então levantaremos diferenças bem pontuais, porque os filmes foram realmente muito bem feitos.

Personagens: o personagem que teve mais alteração foi o Peeta, pra começar pelo cabelo que passou por muitos estágios antes de chegar, só no último filme, no tom loiro como no livro. Outra diferença nele é uma característica muito importante para o personagem, no primeiro livro, ele perde a perna durante os jogos, mas isso não foi feito nos filmes, o personagem continuou com as duas perninhas lá.

Acontecimentos: (ALERTA DE SPOILER) no final do primeiro livro, tem um momento muito importante que acabou sendo cortado do filme: a conversa entre a Katniss e o Peeta, quando eles estão voltando para o distrito 12, nessa conversa a Katniss conta toda a verdade para o Peeta, principalmente sobre o fato dela não gostar dele de verdade e é a partir disso que o relacionamento deles no segundo livro muda tanto. Nos filmes essa mudança fica meio jogada, o primeiro filme termina com eles felizes por terem ganhado e no segundo eles estão tensos um com o outro e isso pode ter ficado um pouco confuso exatamente por esse corte. Outro acontecimento que ficou diferente é quando os rebeldes vão liberar os que estão preso e acabam mostrando apenas o Peeta, a Johanna e a Annie, mas no livro, todos que foram presos foram resgatados e alguns até são importantes por fazerem parte do Conselho no final da história.

Mortes: temos que destacar algo que é quase a marca dessa saga. As mortes que foram adaptadas ficaram todas muito boas e muito fiéis aos livros, porém a saga focou em alguns personagens e por isso algumas mortes tanto no primeiro, quanto nos últimos dois filmes foram deixadas meio de lado.

Como perceberam foram poucas diferenças apontadas e bem pontuais, e nenhuma sobre o segundo filme, porque na nossa opinião é o melhor dos 4 filmes, principalmente no quesito adaptação.

Beijos Mágicos!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

BEDA #13 – Suzy e as águas-vivas

Adriele E. da Silva


Oi gente! Vamos falar sobre um livro muito fofo e que toda criança deveria ler? Um livro que tem tudo pra passar despercebido, mas que tem tudo para ser um livro cativante e que pode marcar muito uma pessoa.

Suzy é uma garota que está começando o 7º ano do ensino fundamental II, seu segundo ano na escola nova e o primeiro sem sua melhor amiga, ou melhor ex-melhor amiga, Franny que morreu durante as férias de verão, pouco antes das aulas voltarem. E Suzy não aceita o que os adultos falam sobre a morte dela, ela possui sua própria versão desse dia, afinal como ela poderia ter morrido afogada se era a melhor nadadora que Suzy conhecia? E é com esse pensamento e uma visita ao museu de ciências que ela começa sua relação com as águas-vivas. Assim começa a busca da Suzy para provar que sua ex-amiga foi morta por uma ferroada de uma água-viva e para isso ela fará o que for possível, mesmo que isso signifique ir muito longe mesmo.

Essa sinopse pode fazer vocês pensarem em um livro infanto-juvenil sobre uma aventura cheia de histórias e personagens, mas não é só isso, na verdade a aventura em si é a parte menos importante, pois o que importa de verdade é todo o preparo, toda a trajetória da Suzy para descobrir uma verdade em que ela quer acreditar. Além de todo o percurso da personagem para compreender o que aconteceu com o relacionamento dela com a Franny, desde a época em que se conheceram, até quando tudo começou a dar errado entre elas e o final que deixou Suzy tão mal e se sentindo tão culpada.

Vamos falar sobre a estrutura do livro, a diagramação é ótima, provavelmente por ter sido pensado pra um público mais jovem. O papel é muito bom, os capítulos não são longos e a divisão deles foi feita para o próprio desenvolvimento da história.

Os capítulos se revezam entre presente e passado, além dos capítulos extras da pesquisa da Suzy para provar a causa da morte da Franny, com direito a mudança de fonte e tudo. E o livro ainda é dividido em partes e para mim essa foi a coisa mais divertida de ver no livro, pois cada parte é um pedaço de um trabalho científico, desde os objetivos até a conclusão, e isso faz muito sentido para a história, já que a personagem tem todo um envolvimento com a Ciência, a professora que se destaca mais é a de Ciências e a pesquisa acaba virando o trabalho de final de ano letivo da Suzy, então tudo no livro faz muito sentido e se completa.

Nem preciso falar nada da capa, né? Pra quem viu o post da tbr da MLI2017, já sabe que esse livro foi escolhido exatamente pela capa. Achei ela muito fofa, desde as ilustrações até a escolha das cores.

Beijos Mágicos!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

BEDA #12 – Era uma vez Outra vez

Larissa Leite


Saudações queridos companheiros 
Ou
Oi
Olá 
Hello
Aloha !!
Semana passada, comecei uma resenha com "era uma vez…" E hoje, não tem como fugir do era uma vez… Porque esse é o nome do livro!
Era uma vez outra vez, é um livro super fino que poderia ter uma história clichê sobre o príncipe que salva a princesa do mostro… Nesse caso, do dragão de sete asas (tan tan tannn). 
Mas, neste livro, tudo começa com o narrador. Isso mesmo, o personagem que narra a história, observa uma menina pegar o seu livro na biblioteca. Veja bem, este livro já estava na prateleira por muito tempo e o narrador não esperava ter que recontar a história.

Agora, o narrador precisa juntar os personagens em seu devido lugar. A princesa na torre, o dragão na caverna, etc. Mas, como fazer, quando os personagens estão revoltados com seus respectivos papéis? E se a princesa quisesse salvar o príncipe? E se o dragão morasse em um castelo? Bem, estes são os problemas que o narrador enfrenta ao longo do livro.

Essa leitura é bem rápida, tranquila e pode ser lida em 1 ou 2 dias. O mais divertido é como os autores humanizaram os personagens, que agora passam a ter personalidade, desejos e desgostos. 

Como todo bom livro infantil, existem os desenhos, que ganharam o prêmio Barco a Vapor de melhor ilustração em 2006. Coloridas e fofas, as ilustrações mostram as expressões e sentimentos, rancorosas e alegres de cada personagem. 

Você enjoa de feijão? Bem, a princesa enjoou de ser princesa! Acredito que essa seja a ideia que o livro passa.

Beijos na bunchecha!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

BEDA #7 – Livro X Filme: Os Instrumentos Mortais

Equipe Living for Harry


Oi gente! Hoje começamos a primeira semana temática do BEDA Living for Harry! Yaaaaaaay! E como viram no título, o tema é comparar livros com seus filmes ou (principalmente nesse caso) séries. E vamos começar com a nossa série favorita, Os Instrumentos Mortais. Vamos fazer em alguns tópicos. Características que mais chamam a atenção, quando comparamos as três representações do mundo criado pela Cassandra Clare.

Personagens: os personagens apareceram de formas bem diferentes, mesmo mantendo algumas características marcantes descritas pela autora da série. Nos livros, a protagonista é uma adolescente do ensino médio, ruiva, atrapalhada e artista. No filme, ela também é uma adolescente do ensino médio, porém é interpretada por uma atriz adulta, seu cabelo é ruivo, porém bem vermelho, ao invés do tom alaranjado. Na série, ela tem o cabelo mais alaranjado, porém está cursando a faculdade e é muito mais destemida e menos atrapalhada que a personagem original do livro.
O Jace também tem várias facetas, no livro ele é alto, forte, porém esguio, e com um cabelo loiro bem claro. É determinado, muito confiante de si e às vezes até meio grosso. No filme, as características da personalidade do personagem estão bem fortes e o ator tem um físico parecido com o do personagem, porém menos forte do que as fãs esperavam, assim como o rosto e o cabelo do ator não agradara, tanto. E na série, ele é bem diferente, pois é mais baixo e forte do que o personagem do livro, seu cabelo é um pouco mais curto e sua personalidade é muito mais afastada que a do personagem no livro.
Os outros personagens também possui diversas alterações entre livro, filme e série, principalmente os irmãos Lightwood. Sendo que no filme o pequeno Max nem aparece, por exemplo. E o Luke da série é um típico policial/detetive de filme americano.

Acontecimentos: a história da série Instrumentos Mortais é dividida em 6 livros e conta aos poucos os acontecimentos desde a descoberta do mundo das sombras pela Clary, até a grande guerra que tem no final. A ideia do filme era seguir essa ordem, logo o único filme feito e lançado foi para adaptar os eventos do primeiro livro. Ele fez isso até que bem, porém resumiu muito, mostrando realmente apenas as cenas mais importantes e marcantes, deixando de lado alguns detalhes e alterando algumas cenas. Porém a série Shadowhunters foi muito mais longe, ela tem até então duas temporadas, porém os acontecimentos estão bem misturados, tendo um pouco de cada livro, sem se aprofundar muito nos detalhes dos eventos que ocorrem para que determinadas situações aconteçam, além dessa superficialidade, a série de TV também muda a ordem e a cronologia de alguns fatos, trazendo-os para antes ou depois de alguns outros fatos (sim, estamos tentando evitar possíveis spoilers), mudando assim toda a estrutura de tempo e espaço criados para os livros.

Outras características: muitas outras coisas mudaram, uma delas são as runas que são as marcas feitas nos Caçadores de Sombras que atribuem determinadas características especiais para eles, nos livros essas marcas ficam, inicialmente, pretas e depois somem, ficando apenas uma cicatriz branca. No filme e na série, elas continuam pretas, provavelmente pela questão estética, pois essa é uma característica física importante nos personagens, além da possível dificuldade em fazê-las como cicatrizes, principalmente as que podem ser reativadas.
Outra característica marcante é o Instituto de Nova York, onde os irmãos Lightwood e o Jace vivem e o lugar onde Clary fica após o ataque ao apartamento onde ela e sua mãe moravam, pois no filme, ele é retratado como um tipo de casa MUITO grande e com muitas áreas, mas com uma pegada mais tradicional, lembrando construções mais antigas, já na série, o instituto é um centro onde eles vivem, mas também muito mais voltado para todo o trabalho dos Caçadores de Sombras, tendo mais do que as áreas descritas nos livros e presentes no filme, apresentando uma tecnologia extremamente avançada, transformando o Instituto em um lugar muito mais militar do que o que foi criado pela Cassandra Clare.

Essas são só algumas das diferenças mais aparentes entre as três representações. Lembrando que a série ainda está em desenvolvimento, então muita coisa ainda vai acontecer. E não estamos valorizando ou desvalorizando qualquer uma delas, gostamos muito dos livros, gostamos do filme e estamos acompanhando a série, então esse post é apenas para destacar essas diferenças e abrir possibilidades de críticas, porém sem julgamento. O importante é acompanhar a história desses personagens e viver, pelo menos um pouco, nesse mundo tão diverso e maravilhoso. E não se esqueçam, a série e o filme são adaptações, não cópias fiéis, então nada de surtar!!

Beijos Mágicos e Beijos na bunchecha!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

BEDA #3 – Indicando adaptações literárias

Adriele E. da Silva

Oi gente!! Hoje teremos mais indicações, só que dessa vez, ao invés de animes, irei indicar filmes, mas não qualquer filme, irei indicar adaptações literárias, logo teremos nessa lista apenas filmes que são feitos a partir de livros e apenas livros. Depois se quiserem, posso fazer um com adaptações de HQs, jogos, mangá, etc.

1- Como eu era antes de você: além de ser uma história muito fofa, o filme tem um elenco muito bom como Emilia Clarke e Sam Claflin. Vale muito a pena tanto assistir, quanto ler o livro.

2- Como treinar o seu dragão: só vou dizer uma coisa: BANGUELA! Brincadeira hahahahaha Além de ter um personagem muito fofo, a animação é muito boa e pode ser assistida por toda a família, porque ela é fofa, divertida e trata de vários temas importantes, desde a relação com outros seres que vivem com a gente, até sobre respeito, família e amizade.

3- P.S. Eu te amo: mais um filme fofinho que vai te fazer chorar, ele é uma adaptação muito boa, então se leu o livro, vai gostar bastante. E é um ótimo filme para os românticos, para assistir com o namorado e chorar junto e pra chorar sozinho, seja ou não na TPM (experiência própria).

4- As aventuras de Pi: esse filme ficou muito bom mesmo, o elenco é incrível e mesmo quem não leu o livro e já amou a história, o filme consegue cativar bastante. Além de toda a parte visual do filme que é muito bem feita e uma história que realmente te faz prender a respiração.

5- A menina que roubava livros: o que falar desse livro? O elenco é muito incrível, além das crianças que fizeram um trabalho incrível, tem nomes como Geoffrey Rush e Emily Watson. E se preparem, pois por ser um filme que se passa na 2ª Guerra Mundial, ele pode ser bem tocante, mas sem ser muito chocante, porém lágrimas podem rolar.

6- A garota da capa vermelha: um livro baseado em um conto infantil, mas que é tudo, menos infantil. Ele tem uma pegada um pouco mais assustadora e adulta, então é uma visão bem diferente da que conhecemos. O elenco também é muito bom, contando com Gary Oldman, Amanda Seyfried e Max Irons.

Essas são as indicações de hoje! Espero que assistam, leiam e aproveitem bastante as dicas aqui do blog!

Beijos mágicos!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it