Especial de Halloween – Tirando os vampiros da caixinha: 5 filmes sobre vampiros

Adriele E. da Silva

Interrompemos esse especial vampirístico para um post de indicação!

Oi gente!! Estou entrando aqui no meio do especial de vampiros da Lari para indicar 5 filmes sobre vampiros que, na minha opinião, vocês deveriam assistir, porque eles possuem diferentes tipos de vampiros, o que combina muito com a nossa semana temática. Não vou falar muito sobre os filmes para evitar spoilers desnecessários. Agora vamos para a lista!

Entrevista com vampiro (1994)

Blade, o caçador de vampiros (1998)

O pequeno vampiro (2001)

Sombras da noite (2012)

Hotel Transilvânia (2012)

Beijos Mágicos!!

Especial “Tirando os vampiros da caixinha”: Apresentação | MB | IAN


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

Anúncios

Especial de Halloween – Tirando os vampiros da caixinha: A Irmandade da Adaga Negra

Larissa Leite

Oláaaaaa, hoje é domingo… Pé de cachimbo, cachimbo é de ouro, bate no touro, touro é valente, bate na gente, a gente é fraco, cai no buraco, buraco é fundo, acabou se o mundo… Mentira, só acabou o domingo mesmo. Em algum momento na vida de vocês, essa musica fez sentido? Enfim, voltando ao post de… VAMPIROS! Hoje é o dia da A Irmandade da Adaga Negra (IAN)!!

Confesso que li essa série quando tinha 15 anos e precisei dar uma refrescada na memória para lembrar a história… Tá aí uma série que preciso reler. Mas também confesso que, de todas as séries vampirescas que já li, Irmandade da Adaga Negra é a minha série menos preferida. Calma! Não significa que não goste dela… Significa que se Midnight Breed e IAN estivessem em um precipício, eu salvaria MB. Se você está pensando wtf é MB, vai ler o post de ontem… Mas, pensem bem, ambos ganharam posts no blog! Igualdade pra geral…

Voltando á série… IAN não tem ETs. Aqui, os vamps são uma espécie, com suas divindades, crenças e até mesmo com uma monarquia. E, como toda boa história de vampiro, a sociedade vive escondida dos humanos… Mas sempre tem aquele vacilo básico, que faz com que alguém descubra que vampiros existem… E ai começa a nossa história…

A série foca seu enredo na irmandade, mais uma vez, um grupo de guerreiros vamps que seguem uma entidade de luz e lutam contra os vamps que seguem uma entidade de trevas. No primeiro livro, temos Wrath, o rei dos vamps, que recebe um missão: Achar a filha DUO de um vamp, ou seja, meio vamp e meio humana.

Mas Lari, você disse que nessa série, humanos não se transformam em vampiros. Bem, você está certo caro leitor. Beth, a garota DUO, foi gerada a partir da união entre um Vamp e uma humana, mas nasceu humana e, futuramente, passará por uma transformação para vamp. Se não me engano (Preciso realmente reler essa série!), todos os vamps não nascem vamps, mas aqueles com sangue puro, passam por essa transformação depois de uma certa idade. Tipo lagarta que vira borboleta.

Só que, para Beth, a transformação não vai funcionar corretamente, pois ela não é 100% sangue puro, ou seja, precisa de um consorte vampiro para ajudar a completar a transformação… E é ai que entra Wrath.

Sei que o propósito desse post não é resenhar, mas gostaria de falar alguns pontos desse livro:

  1. Muitos dos vamps dessa série são machistas o que me irrita muito, porque existem poucas vamps mulheres e a maioria delas não lutam ou estão sempre sendo salvas;
  2. Existem outros seres sobrenaturais além dos vamps… Não vou falar mais, se não é spoiler;
  3. Existem vamps gays, o que é super legal, porque sai um pouco do clássico “vampiros atraem donzelas”.

E ai? Quem vai ler/reler irmandade da adaga negra comigo??

Beijos na bunchecha!!

Especial “Tirando os vampiros da caixinha”: Apresentação | MB


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

Especial de Halloween – Tirando os vampiros da caixinha: Midnight Breed

 

Larissa Leite

Oláaaaa! Lembra daquele post sobre vamps e talz… Tá lembrado né?? Hoje, vamos começar com o meu primeiro vamp fora da caixinha. Preparados??

A série (Porque eu adoro séries) Midnight Breed. Alguém conhece? Se sim, SHIU! Se não… Vou contar agora!!! Corre e pega a pipoca para ler esse post… Aproveita e também pega o cartão de credito do papai pra comprar o primeiro livro da série.

Primeiro, vou contar como esses “vampiros” surgiram. Há muitos milhões de anos atrás, seres de outro mundo invadiram a Terra… Vou apelidá-los carinhosamente de “ETs chupadores de sangue”. Esses ETs mataram e estupraram geral  e engravidaram algumas humanas dando origem a seres metade ET e metade humano… Que vou chamar carinhosamente de geração “DUO”.

Toda gravidez gerava apenas crianças DUO do sexo masculino. Essas crianças nasciam com desenhos na pele, que mudavam de cor de acordo com o humor. Por exemplo, se estavam com fome, as marcas ficavam escuras, ou seja, sede de sangue. Mas, essa sede de sangue precisa ser controlada. Quanto mais sangue é ingerido, maior sua necessidade, e se não há um controle, esse vamp perde sua humanidade e fica… bem… hum… Qual a palavra mesmo… eh… doidão…

Agora, chegamos ao ápice da geração DUO, onde começa o primeiro livro da série: O beijo da meia noite (Nome brega, eu sei…). A história se passa nos Estados Unidos contemporâneo, onde conhecemos um grupo de patrulheiros DUO que caçam vamps corrompidos para impedir que os humanos saibam sobre a existência dos vampiros.

Nessa história, o termo vampiro é usado apenas por humanos, a geração DUO se denomina “Breed”. Por isso do nome esquisito da série: Midnight Breed. Enfim, voltando ao primeiro livro…

Em uma bela manhã de Sol… Não, pera, eles morrem no sol. Então, em uma bela noite de lua cheia, Lucan, o Comandante dos patrulheiros, em uma missão para acabar com um grupo de vamps corrompidos, acaba sendo interrompido por uma humana que estava no lugar errado, mas com uma câmera de flash que cegou os corrompidos e salvou sua vida. Agora, Lucan precisa encontrar a humana, apagar sua memória e recuperar as fotografias tiradas em um momento… não tão legal. Mas… como a vida é uma caixinha de surpresas, a humana não será tão humana assim…

Cada livro da série conta a história de um dos patrulheiros da noite, mas as histórias vão se interligando em uma coisa muito maior e mais complexa. Como os ETs chegaram até a Terra? Como sobreviveram antes? Por que apenas algumas mulheres conseguem gerar crianças DUO? E por que apenas homens? Atualmente, a série esta no seu décimo quinto livro… E eu ainda não sei a resposta de algumas dessas perguntas…

Mas e aí, o que acharam desses Vamps ETs? Melhor que Edward Cullen?

Beijos na bunchecha!!

Especial “Tirando os vampiros da caixinha”: Apresentação


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

Especial de Halloween – Tirando os vampiros da caixinha

Larissa Leite

BOOOMMM DIAAA! Pra você que acordou agora… BOAAA TARDEE! Pra você que acordou em um horário considerado manhã. BOAAA NOITEE!! Pra quem tá lendo o post depois das 19h. Bem, outubro tá aí… Feriado acabou e o dia das crianças também. Mas ta faltando alguma coisa nesse mês…

HALLOWEEN!!!!

Com direito a post em uma sexta-feira 13… Mágico, não?

Tivemos várias ideias de posts para colocar nesse mês, mas para mim é um tanto quanto difícil, porque, veja bem… sou cagona. Daquelas que até hoje não olha pro bicho do exorcista… Por mais que o filme já tenha mais de 20 anos e a piada de dar susto com ele já não tenha mais graça. Acho que já falei isso aqui, mas volto a falar: odeio passar medo!

Então o que estou fazendo aqui hoje? Bem, vou falar sobre um ser mitológico que eu amo e aposto que geral também ama: vampiros!

Se você tem por volta de 20 anos, vai se lembrar da febre chamada: a volta dos vampiros (tbf 2008)… Mas com uma cara mais romântica e não muito assustadora, como Crepúsculo, True Blood, The Vampire Diaries, House of  Night… Anjos da noite não conta, violência por demais…

Poh, Lari. Vampiros? Quem não os conhece! Não, não,não… Nada de Drácula e a história de vender a alma pra alguém, nada de vampiros brilhantes ou com anéis que protegem os seres da noite do Sol… Quero trazer aqui, um conceito novo de vampiro. Quero inovar, mudar, alterar… Mas incrédulos dirão que nada disso é inovador… Nem ligo 😛

Enfim. Nos próximos dias, estarei vos apresentando meus romances favoritos com vampiros. Mas já vou avisando, são umas histórias um pouco “fora da caixinha”…

Preparados? Os livros que vou falar sobre são… quer saber? Vou fazer suspense mesmo… amanhã vocês descobrem qual será o primeiro vampiro “fora da caixinha”!

Beijos na bunchecha!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

Especial Dia das crianças – Tag: Primeiros Passos Literários

Adriele E. da Silva

Oi gente!! FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!! Pra comemorar esse dia que nos faz lembrar de coisas incríveis e nos sentir crianças novamente, vou responder uma tag bem curtinha, mas bem nostálgica. Vi a tag no blog Brincando de Escritora e ela foi criada pelo canal Cabine Literária.

1 – Um personagem que representa sua infância

A própria Calpúrnia Tate, ela é aventureira, curiosa e adora investigar a natureza, características que resumem a minha infância, eu adorava criar histórias e me aventurar pegando insetos e outros bichinhos, sabiam que até criei uma lagartixa? hahahaha

2 – Um personagem criança que você não gosta

O Malfoy. Sério, odeio criança mimada e mesquinha, e ele se encaixa nos dois, então detesto ele.

3 – Um livro que marcou a sua infância

Nem preciso pensar, né? Harry Potter, com certeza! Li o sexto livro (sim, comecei pelo sexto), quando tinha acabado de fazer 10 anos e desde então ler se tornou algo realmente importante e prazeroso pra mim.

Essas foram as minhas respostas, se quiserem responder, só deixar as respostas ou o link pro vídeo/post nos comentários! E não esqueçam de dar os créditos!

Beijos Mágicos!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

BEDA #29 – Six of Crows

Equipe Living for Harry

Oi gente!! Prontos para o post mais especial de todos do BEDA? Pra quem ainda não estava sabendo (acompanhe as redes sociais do blog para saber tudo que está rolando!), no finalzinho de Julho, colocamos lá no Amino e no Twitter uma enquete para escolher um livro para nós lermos e resenharmos no final do mês! O vencedor foi o livro Six of Crows da Leigh Bardugo, então passamos Agosto lendo, com direito a insta stories durante o período de leitura e agora é hora de resenhá-lo!!

Estamos em Kerch. País onde a servidão, jogatina, trapaça e prostituição são visto como entretenimento para os que visitam a cidade de Ketterdam. E tudo começa, quando Van Eck, um mercador de Ketterdam, faz uma proposta milionária á Kaz Brekker, integrante de uma das gangues da capital. Kaz é um ladrão e trapaceiro que só pensa em duas coisas: vingança e dinheiro.

Agora, Brekker precisa encontrar a equipe certa para a sua missão: uma espiã; um desenhista; uma grisha; um Fjerdano; e um atirador cheio de segredos.

Vocês já assistiram Esquadrão Suicida? A base da história nos lembra muito esse filme: usar um grupo de foras da lei para fazer o trabalho sujo para o governo. Mas, nesse caso, ao invés de liberdade, o grupo firecrackers milionário, mesmo. Mas acalmem-se, Six of Crows tem um desenrolar totalmente diferente do esquadrão. Começando pelo fato de que ninguém tem pode para destruir a terra… A não ser que usem parem

O livro também conta com a falta de misericórdia de Game of Thrones, ou seja, mortes ocorrem… frequentemente, as torturas são pesadas e muito descritivas e a escritora não teve dó e nem piedade de machucar e tentar matar os personagens principais da história. Os cenários também faz lembrar de GOT, que são descritos como sujos, fétidos e escuro… Pelo menos na área do Barril, onde se passa grande parte da história.

GOSTAMOS. MUITO. A história prende com toda a aventura e os acontecimentos. O livro é muito bem escrito e a autora se preocupou e se dedicou de verdade ao mundo que ela criou, dando muitos detalhes, explicando sobre a cultura e traduzindo os termos que aparecem. Achamos isso muito bom, porque o leitor não fica perdido e consegue realmente fazer parte desse mundo.

Outra vantagem, SEM TRIÂNGULOS AMOROSOS. Se tem uma coisa que odiamos, são os mimimis dos triângulos. Nesse livro, a autora deixa bem claro quais são os casais que podem, possivelmente, dar certo. Confessamos que, não tem muito romance na história… tem as brigas e os flertes, mas o livro está mais focado na missão.

Sobre a edição! O livro além de bom é visualmente bem feito. A capa combina muito com a vibe do livro, a diagramação é muito boa, então a leitura flui ainda melhor. E o livro tem detalhes muito importantes na própria edição. Ele começa com uma classificação dos Grishas e um mapa dos locais que aparecem durante a história. Os capítulos são divididos entre os personagens, alterando os pontos de vista e as divisões dos trechos são feitas por um pequeno corpinho.

Beijos Mágicos e Beijos na bunchecha!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it 

BEDA #9 – Livro x Filme: Como eu era antes de você

Adriele E. da Silva (participação especial: Joel Torrealba)


Oi gente!! O post de hoje está bem especial, porque temos um convidado especial me ajudando!! O Joel (que já postou uma resenha aqui no blog) me ajudou a escolher as diferenças e semelhanças mais marcantes entre o livro e o filme Como eu era antes de você. Que diga-se de passagem, são os mais recentes aqui da lista!

Personagens: algo que concordamos é o fato de que escolheram muito bem a atriz para interpretar a Lou, a Emilia Clarke fez um ótimo trabalho e conseguiu mostrar a personalidade da personagem sem deixá-la esquisita, mesmo com as roupas super chamativas! Pra mim, o Will não ficou 100% como eu esperava, porém relevem, pois isso é coisa da minha cabeça, até porque o Sam Claflin também fez um excelente trabalho com o personagem. Um problema nesse quesito que chama bastante atenção de quem leu o livro é que a irmã do Will simplesmente não aparece.

Relacionamentos: alguns relacionamentos foram deixados de lado ou tratados de forma superficial ou bem diferentes do livro. Um exemplo é a relação da Lou com a família, eles têm vários problemas e eles praticamente são ignorados no filme, a protagonista se dá muito mal com a irmã, mas no filme elas são quase melhores amigas, isso também ocorre com a mãe da Lou, pois ela é muito mais próxima no filme do que no livro. Mas um relacionamento muito bem feito, além do casal protagonista, é o da Lou com o Patrick, pois eles são um casal bem problemático, mas ela tá sempre tentando fazer dar tudo certo.

Acontecimentos: isso é algo que me deixa bem incomodada, porque eu sei que não pode ficar julgando muito um filme, afinal é pouco tempo pra passar tudo que tem em um livro, mesmo esse livro não sendo longo. Porém muitas cenas importantes para a história foram cortadas do filme (ALERTA DE SPOILER), como o fato do pai do Will ter traído a esposa, pois isso influência bastante as atitudes do Will, ou o motivo da Lou ter tanto medo do labirinto, eu senti bastante falta, mas como eu disse, é compreensível. E duas cenas em especial chamaram a minha atenção em relação a como elas ficaram tão fiéis ao livro: a cena da praia que ficou muito fofa e a cena do aniversário da Lou, quando o Will dá as famosas meias listradas para ela. Eu gosto muito dessas cenas e elas ficaram muito bem feitas, mostrando bem a relação dos persongens e como cada um se desenvolve.

Extra: algo que eu não sabia, mas descobri nas minhas pesquisas (Obrigada, Toda Teen!) é que a autora esteve presente nas gravações e tentou deixar o filme o mais próximo possível do livro, desde o elenco até o que poderia ou não acontecer em determinados momentos.

Beijos Mágicos!!


E siga o blog nas redes sociais: Twitter  |  Facebook  |  Instagram  |  Skoob  |  Pinterest  | We Heart it